fbpx

Ozonioterapia no tratamento de doenças neurodegenerativas

Ação antioxidante do ozônio em doenças neurodegenerativas

Doenças neurodegenerativas, como o Alzheimer e o Parkinson, são os distúrbios cognitivos e motores mais prevalentes em idosos. Estas doenças específicas são caracterizadas pela redução da homeostase durante o envelhecimento, inflamação crônica, disfunção mitocondrial e desequilíbrio metabólico.

O estudo de Scassellati et. al. (2020) tem como objetivo fornecer evidências científicas consistentes para utilizar a ozonioterapia no início do declínio do envelhecimento, enquanto ainda é possível intervir, antes do desenvolvimento de uma potencial patologia neurodegenerativa.

Na literatura, há evidências de que o ozônio é capaz de promover ação antioxidante no organismo através da lipoperoxidação e da formação de peróxidos de hidrogênio, estes componentes são responsáveis por inibir a conjugação da via Keap 1 com o Nrf2. O Nrf2 é o regulador e protetor das células contra o estresse oxidativo, enquanto o Keap 1 é o seu inibidor, com isso, a ação do ozônio diminui a ação da via Keap 1, permitindo a ação do Nrf2 no aumento da resposta antioxidante das células. Além disso, o ozônio também reduz a expressão de citocinas pró-inflamatórias através da via NF-κB, diminuindo a inflamação do organismo.

Dessa forma, a utilização da ozonioterapia pode induzir a hormese, ou seja, melhorar o processo de resistência, sobrevivência e longevidade das células expostas a níveis subletais de estresse, já que a via Nrf2 é considerada hormética. Sendo assim, a capacidade do ozônio de promover a longevidade das células, resulta também em neuroproteção, evitando com que células nervosas sofram apoptose, prevenindo o desenvolvimento de doenças neurodegenerativas.

Os autores concluíram que a ozonioterapia tem potencial como um método seguro, não invasivo, não farmacológico, econômico e eficaz para condições neurodegenerativas, já que além de não apresentar efeitos colaterais, é capaz de modular o sistema antioxidante, imunológico, inflamatório, metabólico e os processos regenerativos das células. Apesar de mais estudos serem necessários, esta revisão relata evidências científicas substanciais para a construção de uma lógica de uso da ozonioterapia para retardar o desenvolvimento de doenças neurodegenerativas, explorando várias funções bem documentadas do ozônio.

Clique aqui e faça download do artigo. 

Referência:

Scassellati C, Galoforo AC, Bonvicini C, Esposito C, Ricevuti G. Ozone: a natural bioactive molecule with antioxidant property as potential new strategy in aging and in neurodegenerative disorders. Ageing Res Rev. 2020 Nov; 63:101138. doi: 10.1016/j.arr.2020.101138. Epub 2020 Aug 15. PMID: 32810649; PMCID: PMC7428719.

Share:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Sem comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blog Philozon

Postagens relacionadas

Olá! Preencha os campos abaixo para iniciar a conversa no WhatsApp

O FORMULÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

 Em breve um consultor entrará em contato com você.

SUA AVALIAÇÃO FOI ENVIADA COM SUCESSO!

SUA DOCUMENTAÇÃO FOI ENVIADA COM SUCESSO

Por gentileza, informar seu consultor que o cadastro foi realizado.