fbpx

Ozonioterapia para redução dos níveis séricos de citocinas inflamatórias em transtornos musculoesqueléticos e temporomandibulares

Ozonioterapia para redução dos níveis séricos de citocinas inflamatórias em transtornos musculoesqueléticos e temporomandibulares

Os efeitos benéficos da ozonioterapia são relatados em diversos estudos para diferentes patologias. Visando avaliar os efeitos bioquímicos do ozônio no organismo Sire et. al. (2022), por meio de uma revisão abrangente, investigaram os efeitos da ozonioterapia nos níveis séricos de citocinas inflamatórias como um modulador do estresse oxidativo em pacientes com transtornos musculoesqueléticos e temporomandibulares (ATM).

O gás ozônio é uma molécula instável e reativa capaz de produzir um estresse oxidativo controlado de baixa proporção por meio de lipoperoxidação.  Isto promove uma resposta antioxidante do organismo e uma regulação positiva de Nrf2 reduzindo os processos inflamatórios. A hipótese do estudo aponta a ozonioterapia como um método terapêutico não-tóxico capaz de restaurar a homeostase corporal.

Na osteoartrite, uma doença musculoesquelética generalizada que afeta a cartilagem articular do joelho, as citocinas inflamatórias promovem a sinalização de NF-Кβ, o que acelera a degeneração da matriz da cartilagem e apoptose de células.  Contudo, com a aplicação de ozonioterapia, nota-se uma redução da sinalização de NF-Кβ e aumento de Nrf2, promovendo ação antioxidante, reduzindo a degeneração da cartilagem e aumentando a sobrevivência das células.

Na disfunção temporomandibular (ATM), condição que provoca dor e limita a mobilidade da mandíbula, o gás ozônio é capaz de reduzir a produção de citocinas inflamatórias, especificamente IL-6, IL-1β e TNF-α, responsáveis pela degradação da cartilagem no líquido sinovial. Além disso, quando o ozônio é injetado na cápsula articular, promove a reparação da articulação fibroblástica, estimula o crescimento da cartilagem, como também reduz a inflamação.  Por causa disso, a ozonioterapia é definida neste contexto como uma terapia não invasiva, rápida e confortável que tem eficácia na melhora dos níveis de dor na ATM.

Em conclusão, a revisão abrangente descreveu o impacto da terapia com O2O3 nos níveis séricos de citocinas em diferentes contextos e condições. Conforme descrito anteriormente, os distúrbios musculoesqueléticos e reumatológicos incluem várias condições patológicas caracterizadas por diferentes e complexas abordagens terapêuticas. Nesse cenário, a terapia com O2O3 ainda continua sendo uma intervenção conservadora e minimamente invasiva promissora por que melhora os sintomas de dor e a qualidade de vida dos pacientes.

Então, até o momento, as evidências sugerem um papel da terapia com O2O3  na modulação dos níveis séricos de IL-6 e IL-10. No entanto, o mecanismo epigenético ainda não foi completamente elucidado. Portanto, mais estudos de alta qualidade são necessários para entender completamente os efeitos moleculares, epigenéticos e bioquímicos do O2O3  e suas implicações terapêuticas.

Clique aqui e faça download do artigo. 

Referência:

de Sire A, Marotta N, Ferrillo M, Agostini F, Sconza C, Lippi L, Respizzi S, Giudice A, Invernizzi M, Ammendolia A. Oxygen-Ozone Therapy for Reducing Pro-Inflammatory Cytokines Serum Levels in Musculoskeletal and Temporomandibular Disorders: A Comprehensive Review. Int J Mol Sci. 2022 Feb 25;23(5):2528. doi: 10.3390/ijms23052528. PMID: 35269681; PMCID: PMC8910188.

Share:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Blog Philozon

Postagens relacionadas

Olá! Preencha os campos abaixo para iniciar a conversa no WhatsApp

O FORMULÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

 Em breve um consultor entrará em contato com você.

SUA AVALIAÇÃO FOI ENVIADA COM SUCESSO!

SUA DOCUMENTAÇÃO FOI ENVIADA COM SUCESSO

Por gentileza, informar seu consultor que o cadastro foi realizado.