fbpx

Análise do efeito bactericida do Ozônio sobre bactérias multirresistentes

Análise do efeito bactericida do Ozônio sobre bactérias multirresistentes

Desde 1929, a resistência aos antimicrobianos tem sido relatada e documentada, estando relacionada ao uso indiscriminado destes medicamentos. Estudos recentes feitos na Europa mostraram que anualmente cerca de 4 milhões de pacientes são afetados por infecções hospitalares transmitidas por profissionais da saúde, com uma taxa de mortalidade de 1% (40.000 mortes/ano), e com um gasto anual de 10 bilhões de dólares. 

Sabe-se que o ozônio por ser um agente altamente oxidante, provoca a lise das membranas celulares, com consequente morte celular. Assim, atua oxidando materiais biológicos e tem poder bactericida mais rápido que o cloro. Já foi demonstrado que bastam poucos minutos de exposição ao gás para que fungos (e seus esporos), bactérias e vírus sejam inativados.

O poder bactericida do ozônio em bactérias multirresistentes

Neste contexto, o objetivo do estudo de Tormin et al. (2016) foi avaliar o poder bactericida do ozônio gasoso sobre as bactérias multirresistentes: Staphylococcus aureus, Acinetobacter baumannii, Enterococcus faecalis resistentes à vancomicina e Pseudomonas aeruginosa.

Para a metodologia do estudo foram realizadas suspensões de Pseudomonas aeruginosa (Cepa Multirresistente), Staphylococcus aureus (ATCC 43300 MRSA), Enterococcus faecalis (ATCC 51299 VRE) e Acinetobacter baumannii (Cepa Multirresistente) contendo 108 UFC/ml de bactérias na escala de 0,5 McFarland e 500 ml de água estéril bidestilada gelada realizamos infusões de ozônio gasoso nas concentrações de 10 µg/ml, 4 µg/ml e 3 µg/ml, durante 2 e 4 minutos. Uma amostra de 1 ml da solução foi colhida e acondicionada em frascos de Hemobac trifásico. Os frascos foram incubados em estufa à 36ºC por 7 dias e feito leitura das colônias a cada 24 horas de incubação no período de 7 dias.

Entre os resultados obtidos, foi possível observar que após infusão por 4 minutos de ozônio gasoso na concentração de 10 µg/ml não houve crescimento bacteriano nas leituras de 48hs e após 7 dias. Já nas concentrações de 4 µg/ml e 3 µg/ml, observamos crescimento bacteriano, embora em menores concentrações, mostrando ação bactericida parcial.

Assim, os autores concluíram que o ozônio tem efeito bactericida sobre bactérias multirresistentes, sendo este efeito proporcional à concentração e ao tempo de exposição.

BAIXE O ARTIGO EM PDF AQUI

Referência:

TORMIN, S. C. et al. Análise do efeito bactericida do ozônio sobre bactérias multirresistentes. Arq Med Hosp Fac Cienc Med Santa Casa São Paulo, São Paulo, v.61, n.3, p.138-141, 2016.

Share:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Sem comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blog Philozon

Postagens relacionadas

Olá! Preencha os campos abaixo para iniciar a conversa no WhatsApp

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.

O FORMULÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

 Em breve um consultor entrará em contato com você.

SUA AVALIAÇÃO FOI ENVIADA COM SUCESSO!

SUA DOCUMENTAÇÃO FOI ENVIADA COM SUCESSO

Por gentileza, informar seu consultor que o cadastro foi realizado.